Educação popular, saúde e segurança alimentar em áreas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Autores

  • Bianca Ruckert Ruckert Farmacêutica, mestre em Educação (UFMG), especialista em Movimentos Sociais (UFMG) e integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Minas Gerais.
  • Marília Carla Mello Gaia Bióloga, doutoranda em Educação (UFMG), mestre em Ciências / ênfase Saúde Coletiva (CPqRR-Fiocruz-MG) e especialista em Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável (IFSudesteMG), integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Minas Gerais.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i2.1517

Resumo

Este artigo analisa o desenvolvimento de uma ação educativa em segurança alimentar e nutricional envolvendo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, na região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. A partir do registro da experiência, enfatizou-se a metodologia da ação, os saberes mobilizados e as mudanças nas práticas de saúde, segurança alimentar e produção agropecuária dos sujeitos envolvidos. As reflexões apontam para alguns elementos da metodologia que contribuíram para o desenvolvimento da referida ação educativa, para a construção de uma concepção ampliada sobre o processo saúde-doença a partir da inter-relação entre saúde, produção, alimentação e práticas populares de cuidado, além dos desafios e potencialidades ao fortalecimento da segurança alimentar e nutricional nas áreas de Reforma Agrária que integraram a experiência.

Downloads

Publicado

2014-06-29