Educação em Saúde: Relato de Oficinas realizadas em uma Associação de Catadores do Distrito Federal.

Autores

  • Leticia Alves Lima Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia
  • Ana Carolina Martins Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia
  • Vanessa Resende Nogueira Cruvinel Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia.
  • Silvia Badim Marques Universidade de Brasilia-Faculdade de Ceilândia.
  • Marcos Takashi Obara Universidade de Brasilia-Faculdade de Ceilândia.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v10i3.1851

Palavras-chave:

Catadores, Universidade, Relações comunidade- Instituição, educação em saúde

Resumo

Esse artigo traz o relato de oficinas realizadas por um projeto de extensão da Universidade de Brasília, denominado Pare, Pense e Descarte: Coleta Seletiva Solidaria e saúde dos trabalhadores, numa cooperativa de catadores, entre os anos de 2013 e 2014. Essas oficinas foram pensadas e realizadas a partir de uma demanda coletada dos catadores através de um questionário situacional, onde foram elencados temas gerais de interesse da população como: direito, doenças crônicas, saúde bucal, dengue e outras. Elas foram ministradas por professores da Universidade, com o auxílio de estudantes do projeto. Percebeu-se que o vínculo estabelecido entre Universidade-Comunidade é muito importante, pois traz empoderamento, aumento de empatia e de conhecimento para ambas as partes envolvidas nesse processo. 

Biografia do Autor

Leticia Alves Lima, Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia

Graduanda de Enfermagem, do 9º período.

Ana Carolina Martins, Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia

Graduada em Saúde Coletiva

Vanessa Resende Nogueira Cruvinel, Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia.

Professora Adjunta da Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia. Epidemiologia.

Silvia Badim Marques, Universidade de Brasilia-Faculdade de Ceilândia.

Professora Adjunta da Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia. Direito Sanitário

Marcos Takashi Obara, Universidade de Brasilia-Faculdade de Ceilândia.

Professor Adjunto da Universidade de Brasilia- Faculdade de Ceilândia. Epidemiologia.

Referências

BRASIL. Decreto Nº 7.405, de 23 de dezembro de 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis o Comitê Interministerial da Inclusão Social de CATADORES DE Lixo criado pelo Decreto de 11 de setembro de 2003, dispõe sobre sua organização e funcionamento, e da outras providencias. Brasilia, Planalto:2007

RODRIGUES, Francisco Luiz; CAVINATTO, Vilma Maria. Lixo: de onde vem? Para onde vai? São Paulo: Moderna, 1997. 79 p.

GALDINO, Silvana de Jesus; MALYSZ, Sandra Terezinha. Catadores de materiais recicláveis e coletores do município de Mamborê-PR: agentes fundamentais no processo de gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos. 2012. Disponível em: <http://www.fecilcam.br/nupem/anais_vii_epct/PDF/CIENCIAS_EXATAS_E_DA_TERRA/Geografia/06_548_sjesusgaldinoartigocompleto(3).pdf>. Acesso em: 30 de Julho de 2013.

MEDEIROS, L.F.R.; MACEDO, K.B. Catador de material reciclável: uma profissão para além da sobrevivência?. Universidade Católica de Goiás. Psicologia & Sociedade; mai./ago. 2006

(2): 62-71;

PEREIRA, A. L. Educação em saúde. In: Ensinando a cuidar em Saúde Pública. Difusão, 2003.

MENDONÇA, F.A. et. al.. Saúde pública, urbanização e dengue no Brasil. Soc. Nat. Dec 2009 21(3).

Downloads

Publicado

2016-11-21

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA