Controle primário na gestão de cooperações: uma análise na Fiocruz Brasília.

Autores

  • Gabriel Maia Veloso Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Pública
  • José Antonio Silvestre Fernandes Neto
  • Wagner de Jesus Martins
  • Edward Torres Maia
  • Moizés Ferreira Borba Filho

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v9i3.1794

Resumo

No campo da saúde, a realização de cooperações tem sido fundamental para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde – SUS, o controle primário, também conhecido como controle interno administrativo, sobre essas parcerias vem ganhando importância junto à administração pública e os órgãos de controle. Desta forma, este trabalho tem como objetivo analisar as ações de controle interno realizadas na Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz - em Brasília. Para isso foram utilizados como referencial os princípios do Committe Of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission I, COSO I, e práticas utilizadas pelo Tribunal de Contas da União - TCU. Como resultados deste trabalho, foi possível comparar as ações de controle interno da Fiocruz Brasília com as da sua Sede, avaliar, entre os atores internos envolvidos no fluxo do processo de concretização das Cooperações, o conhecimento sobre medidas de monitoramento das ações de controle primário e sua efetividade. O presente estudo buscou contribuir para a promoção das ações de controle primário na instituição.

Biografia do Autor

Gabriel Maia Veloso, Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Pública

Professora adjunta do Departamento de Saúde Coletiva, da Universidade de Brasília (UnB). Possui doutorado em Ciência da Informação pela UnB, mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialização em Administração da Comunicação Empresarial e graduação em Jornalismo e Relações Públicas. Atualmente é coordenadora do Centro de Tecnologias Educacionais Interativas em Saúde, da Faculdade de Ciências da Saúde (CENTEIAS/FS) e pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública da UnB (NESP/CEAM/UnB), onde coordena a Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Informação em Comunicação em Saúde Coletiva (CNPq-Brasil). Foi consultora em projetos de inclusão digital para o Ministério das Comunicações. Tem experiência nas áreas das Ciências da Informação e da Comunicação com ênfase em Comunicação da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: informação e comunicação em saude, tecnologias da informação e comunicação em saúde, inclusão digital, alfabetização em informação e em comunicação, redes sociais e ensino a distância.

Downloads

Publicado

2015-12-28

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)