Graduação em Saúde Coletiva e o processo de construção de cenários práticos.

Autores

  • Neide Emy Kurokawa Silva Coordenação Editorial - Editora Executiva - Editora Associada Tecnologia da Informação, Educação e Comunicação em Saúde - Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Publica
  • Miriam Ventura Ventura
  • Jaqueline Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v7i3.1396

Resumo

O ensaio busca problematizar a noção de campos de estágio para a formação do sanitarista, tendo como objetivo compreender as possibilidades e limites para o desenvolvimento de competências atinentes a uma práxis de Saúde Coletiva, em nível de graduação. Além de obstáculos operacionais, ressalta-se a importância de debater o sentido de prática ou de campo prático na formação em Saúde Coletiva. Mais que identificar um campo, o desafio é o de construir espaços e metodologias que propiciem o exercício da observação, da reflexão e da crítica, com vistas à consolidação do Sistema Único de Saúde. Essa construção não deve se limitar ao âmbito das instituições de ensino, mas deve contar com outros atores e instâncias, incluindo-se, sobretudo, os próprios discentes e profissionais de saúde.

Biografia do Autor

Neide Emy Kurokawa Silva, Coordenação Editorial - Editora Executiva - Editora Associada Tecnologia da Informação, Educação e Comunicação em Saúde - Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Publica

Professora adjunta do Departamento de Saúde Coletiva, da Universidade de Brasília (UnB). Possui doutorado em Ciência da Informação pela UnB, mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialização em Administração da Comunicação Empresarial e graduação em Jornalismo e Relações Públicas. Atualmente é coordenadora do Centro de Tecnologias Educacionais Interativas em Saúde, da Faculdade de Ciências da Saúde (CENTEIAS/FS) e pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública da UnB (NESP/CEAM/UnB), onde coordena a Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Informação em Comunicação em Saúde Coletiva (CNPq-Brasil). Foi consultora em projetos de inclusão digital para o Ministério das Comunicações. Tem experiência nas áreas das Ciências da Informação e da Comunicação com ênfase em Comunicação da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: informação e comunicação em saude, tecnologias da informação e comunicação em saúde, inclusão digital, alfabetização em informação e em comunicação, redes sociais e ensino a distância.

Downloads

Publicado

2013-11-02

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)