Uma investigação preliminar das representações morais sobre células-tronco em mídia de massa.

Autores

  • Natan Monsores De sá Professor adjunto da Universidade de Brasília.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v6i3.1167

Resumo

A compreensão da interação social mediada e da circulação de discursos morais através da mídia devem ser objetivos de bioeticistas interessados em verificar como discursos sobre biotecnociência se incorporam ao cotidiano das pessoas, permitindo visão panorâmica da construção subjetiva de moralidades. O objetivo deste artigo é apresentar parte de uma das experiências do grupo de Bioética e Biotecnociência da Cátedra de Bioética da Universidade de Brasília, que é a investigação da circulação de conteúdos morais em discursos sobre células-tronco veiculados em mídia de massa (televisão). São apresentados o caminho para construção de uma estratégia metodológica e os resultados preliminares da primeira incursão sobre o corpus estabelecido (317 matérias jornalísticas). A leitura flutuante permitiu distinguir elementos argumentativos, como a esperança de cura e o progresso da ciência, freqüentes nas representações que os enunciadores identificados (pacientes, cientistas, juristas, religiosos e jornalistas) tinham sobre a questão das células-tronco

Biografia do Autor

Natan Monsores De sá, Professor adjunto da Universidade de Brasília.

Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília, mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília e doutor em Bioética pela Universidade de Brasília. Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília.

Downloads

Publicado

2012-08-23