#QUIMIOTERAPIA: O QUE AS PESSOAS PUBLICAM NO INSTAGRAM?

WHAT PEOPLE PUBLISH ON INSTAGRAM?

Autores

  • Camila Griebeler Associação Hospitalar Santo Afonso de Cândido Godói
  • Julyane Felipette Lima Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó
  • André Pereira Neto Fundação Oswaldo Cruz
  • Leticia Barbosa Fiocruz

Resumo

No atual contexto de disseminação das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs), pessoas acometidas pelo câncer cada vez mais utilizam mídias sociais para compartilhar suas experiências e buscar informações sobre sua doença e os tratamentos disponíveis. Este artigo tem como objetivo analisar as legendas das fotos postadas com a hashtag quimioterapia na plataforma Instagram. Para a realização deste estudo, foi utilizado como referencial metodológico a “Teoria Fundamentada nos Dados” (Grounded Theory), descrita pela socióloga Kathy Charmaz. A coleta dos dados, ocorrida entre os meses de outubro e novembro de 2016, foi realizada a partir da técnica lurking: quando o observador não interfere no que está acontecendo. No processo da coleta, foram identificadas as publicações que continham na legenda o termo “#quimioterapia”. A análise das postagens foi conduzida conforme processos de codificação e categorização previstos na “Teoria Fundamentada nos Dados”. Os dados obtidos foram descritos nas seguintes categorias: #SeToca, #OutubroRosa, #Quimioterapia, #IBelieve e #Cura. As primeiras categorias se relacionam com as campanhas de prevenção do câncer de mama, que geralmente ocorrem no mês de outubro, enquanto as últimas aludem ao processo de tratamento e cura da doença. As categorias também estão associadas ao itinerário terapêutico das mulheres com câncer de mama. Identificamos que a maior parcela das publicações coletadas foi feita por pessoas, geralmente mulheres, que estão passando ou já passaram pelo tratamento quimioterápico. A partir da análise realizada, foi possível observar que as redes sociais digitais se configuram enquanto um importante espaço para pacientes com câncer de mama, uma vez que se tornam um local de acolhimento possibilitam o compartilhamento de experiências e conhecimentos.

Downloads

Publicado

2021-04-07 — Atualizado em 2021-04-09

Versões

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS