O futuro do sistema de saúde na espanha: será possível financiá-lo sem reformas estruturais?

Autores

  • Joan Barrubés Universidade de Brasília
  • Manel Peiró

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v13i2.2684

Resumo

Os sistemas de saúde contribuíram claramente para melhorar o estado de saúde da população, mas a taxa de crescimento dos gastos em saúde, superior à do crescimento do PIB nos países desenvolvidos, levanta questões sobre sua sustentabilidade. No entanto, a análise da sustentabilidade tende a ser parcial: concentra-se nos gastos com a saúde e, raramente, na cobertura e nas receitas fiscais do sistema de saúde, um ponto crítico no caso da Espanha. Neste artigo analisamos o impacto da crise econômica na sustentabilidade do sistema de saúde espanhol, e não apenas seu impacto econômico, mas também em termos de aumento de saúde e desigualdades. E, finalmente, uma estimativa do crescimento dos gastos de saúde pública em Espanha para os próximos anos em um cenário de reforma e um cenário de crescimento sem mudanças estruturais, para trazer para fora o custo de não fazer nada é feito. Mudanças e reformas tornam-se imperativas, mas isso requer um clima de discussão calma e aberta que envolva todos os atores do processo, abordando os problemas reais.

Publicado

2019-11-02