Fomento à iniciativas de economia solidária com usuários de álcool e outras drogas em situação de rua: relato de experiência

Autores

  • Isabela Aparecida de Oliveira Lussi UFSCar
  • Thamy Eduarda Ricci Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
  • Letícia Maria Pereira UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i3.2425

Resumo

O presente trabalho relata a experiência de fomento de uma iniciativa de economia solidária com usuários de álcool e outras drogas que se encontravam em situação de rua e abrigados em instituição religiosa em uma cidade do interior do estado de São Paulo, no período entre 2013 e 2015. Foram utilizadas rodas de conversa como metodologia para o trabalho. Os encontros eram abertos a todos os moradores da comunidade, resultando em número flutuante de participantes por encontro. Os participantes tinham entre 17 e 62 anos e suas ocupações anteriores eram, em sua maioria, na área de construção civil e na área rural. A maior parte dos moradores da comunidade fazia uso abusivo de substâncias psicoativas. Nos encontros, foram discutidos temas acerca do trabalho e da economia solidária e, a partir disso, constituiu-se um grupo destinado a produzir artesanatos diversos, a partir da afinidade de cada um, no qual a renda obtida era administrada pelo próprio grupo. O escoamento dos produtos se deu principalmente com a participação de seus membros na feira de Economia Solidária que acontecia semanalmente em uma Universidade da cidade. Durante o processo de finalização das atividades, observamos que o grupo desenvolveu maior autonomia e passou a se organizar melhor coletivamente, sendo que os integrantes indicaram o desejo de continuar com as atividades, mesmo sem a presença do projeto.

Biografia do Autor

Isabela Aparecida de Oliveira Lussi, UFSCar

Doutora em Ciências, Docente do Departamento de Terapia Ocupacional e do Programa de Pós-graduação em Terapia Ocupacional, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, São Carlos, SP, Brasil

Thamy Eduarda Ricci, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Terapeuta ocupacional. Residente no Programa de Residência Multidisciplinar em Rede de Atenção Psicossocial, Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Santos, São Paulo, Brasil.

Letícia Maria Pereira, UFSCar

Terapeuta ocupacional pela UFSCar

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental e economia solidária: inclusão social pelo trabalho. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2005.

Brasil. Lei n. 10.216 de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das

pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde

mental. Diário Oficial da União 2001.

Amarante, p. Saúde mental e atenção psicossocial. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora Fio Cruz, 2007.

Amarante P, Belloni F. Ampliando o direito e produzindo cidadania. In: Pinho, KLR, et al. (Orgs.). Relatos de experiências de inclusão social pelo trabalho na saúde. São Carlos: Compacta gráfica e editora, 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 3.088, DE 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União 2011.

Saraceno B. Libertando identidades: da reabilitação psicossocial à cidadania possível. Belo Horizonte: Te Corá Editora/ Instituto Franco Basaglia; 2000.

Lussi IAO, Matsukura TS, Hahn MS. Reabilitação psicossocial: oficinas de geração de renda no contexto da saúde mental. O Mundo da Saúde (CUSC. Impresso). 2010. (34):284-290.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental e economia solidária: inclusão social pelo trabalho. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2005.

Singer P, Silva RMA, Schiochet V. Economia Solidária e os desafios da superação da pobreza extrema no Plano Brasil sem Miséria. In: Campelo T, Falcão T, Costa PV. et al (Orgs.). O Brasil sem miséria. Brasília: MDS, 2014.

Singer, P. Economia solidária: um modo de produção e distribuição. In: Singer, P.; Souza AR. A economia solidária no Brasil: a autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto, 2000.

Azambuja LR. Os valores da economia solidária. Sociologias. 2009; 11(21): 282-317.

Brasil. Política nacional para Inclusão Social da População em situação de rua, Brasília, (MDS, 2008)

Escorel S. Vivendo de teimosos: moradores de rua da cidade do Rio de Janeiro. In: Burstyn M. No meio da rua: nômades, excluídos e viradores. Rio de Janeiro: Garamond, 2003.

Prates JC, Prates FC, Araújo SM. Populações em situação de rua: os processos de exclusão e inclusão precária vivenciados por esse segmento. Revista Temporalis. 2011.

Brasil, MDS, Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua. Brasília, MDS, 2008.

Domingues Jr PL. Cooperativa e a construção da cidadania da população de rua. São Paulo: Loyola, 2003.

Costa APM. População em situação de rua: contextualização e caracterização. Revista Virtual Textos & Contextos. 2005; (4): 1-15.

Beck LM, David HMS. O abuso de drogas e o mundo do trabalho: possibilidades de atuação para o enfermeiro. Escola Anna Nery Revista Enfermagem. 2007; 4(11): 706-11.

Alves VS. Modelos de atenção à saúde de usuários de álcool e outras drogas: discursos políticos, saberes e práticas. Caderno Saúde Pública. 2009; 11(25): 2309-2319.

Machado AR, Miranda PSC. Fragmentos da história da atenção à saúde para usuários de álcool e outras drogas no Brasil: da Justiça à Saúde Pública. Hist. cienc.saude-Manguinhos. 2007; 3(14): 801-821.

Carillo PLL, Mauro MYC. O trabalho como fator de risco ou fator de proteção para o consumo de álcool e outras drogas. Texto Contexto Enferm. 2004; 13(2): 217-225.

Araújo CH. Migrações e vida nas ruas. In: Burstyn M. No meio da rua: nômades, excluídos e viradores. Rio de Janeiro: Garamond, 2003.

Botti NCL, Castro CG, Silva MF, Silva AK, Oliveira LC, Castro ACHOA, Fonseca LLK. Prevalência de depressão entre homens adultos em situação de rua em Belo Horizonte. J. bras. psiquiatr. 2010; 1(59): 10-16.

Silva MDP, Lussi IAO. Geração de renda e saúde mental: o cenário do município de São Carlos. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2010; (18): 35-48.

Lussi IAO, Morato GG. O significado do trabalho para usuários de serviços de saúde mental inseridos em projetos de geração de renda vinculados ou não ao movimento da economia solidária. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2010; 3(20): 369-380.

Oliveira MA. Os desafios enfrentados pela população de rua em Juiz de Fora frente a proposta da economia solidária. In: V Encontro Internacional de Economia Solidária. USP, 2007.

Barreto RO, Lopes FT, Paula, APP. A economia solidária na inclusão social de usuários de álcool e outras drogas: reflexões a partir da análise de experiências em Minas Gerais e São Paulo. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho. 2013; 1(16): 41-56.

Ghirardi MIG, Lopes SR, Barros DD, Galvani D. Vida na rua e cooperativismo: transitando pela produção de valores. Interface – Comunic, Saúde, Educ. 2005; 18(9): 601-610.

Lussi IAO, Pereira MAO. Concepções sobre trabalho elaboradas por usuários de serviços de saúde mental envolvidos em projetos de inserção laboral. Rev de Ter Ocup da Univ de São Paulo. 2013; (24): 208-215.

Publicado

2018-04-13

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA