Perfil dos egressos de Serviço Social da Residência Multiprofissional do INCA.
PDF

Palavras-chave

Residência multiprofissional
Serviço Social
Saúde
Formação profissional.

Como Citar

Nunes, K. da C., Nogueira, A. C. C., & Lima, F. L. T. de. (2017). Perfil dos egressos de Serviço Social da Residência Multiprofissional do INCA. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 10(4), Pág. 111-128. https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2255

Resumo

Esse artigo tem o objetivo de identificar e analisar os perfis acadêmico e profissional dos assistentes sociais egressos no Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Trata-se de pesquisa de cunho descritivo-exploratório numa abordagem quanti-qualitativa por meio de aplicação de questionário semi-estruturado para os 12 egressos do Serviço Social matriculados entre 2010 e 2013. Foram estabelecidas três categorias analíticas (Perfil acadêmico; Perfil profissional; Contribuição da residência para inserção profissional) discutidas à luz do referencial crítico-dialético. Os resultados demonstram que o perfil dos egressos coaduna as diretrizes da política de formação em saúde. Nessa perspectiva, a residência se apresenta como um importante espaço de transformação e efetivação do SUS.
https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2255
PDF

Referências

ANTUNES, R. As formas contemporâneas de trabalho e a desconstrução dos direitos sociais. In: SILVA, Maria Ozanira e YAZBEK, Maria Carmelita (Orgs.). Políticas públicas de trabalho e renda no Brasil contemporâneo. São Paulo: Cortez, 2006.

ARAÚJO D.; MIRANDA M. C. G; BRASIL SL. Formação de profissionais de saúde na perspectiva da integralidade. Rev Bras Saúde Pública, 2007; p.: 20-31.

AVELLAR, W. O. O Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia do Instituto Nacional de Câncer: limites e possibilidades frente às políticas de inovação em saúde. 2013. Dissertação (Mestrado). ENSP/FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BOSCHETTI, I. Condições de trabalho e a luta dos(as) assistentes sociais pela jornada semanal de 30 horas. Serviço Social e Sociedade, São Paulo , n. 107, set. 2011.

BRASIL. Lei 11129 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de inclusão de jovens e cria o conselho nacional de juventude e a secretaria nacional de juventude. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11129.htm> Acessado em: 10 de novembro de 2015.

BRASIL. Portaria Interministerial MEC/MS Nº 1.077, de 12 de novembro de 2009. Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde e institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Disponível em: <http://www.cremesp.org.br/library/modulos/legislacao/versao_impressao.php?id=8862> Acessado em: 07 de outubro de 2015.

BRASIL. Portaria Nº 874, de 16 de Maio de 2013. Institui a Política Nacional para a Prevenção e Controle do Câncer na Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0874_16_05_2013.html> Acessado em: 15 de dezembro de 2015.

BRAVO, M. I. S.; MATOS, Maurílio Castro de. Projeto Ético-Político e sua Relação com a Reforma Sanitária: Elementos para o Debate. In: MOTA, Ana Elizabete. [et al], (orgs). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, Cortez, 2007. p.197-217.

CARVALHO, C. S.U.. Pobreza e câncer de colo de útero: estudo sobre as condições de vida de mulheres com câncer do colo de útero avançado em tratamento no Hospital do Câncer II – Instituto Nacional de Câncer – Rio de Janeiro. 2004.163f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

CFESS. Assistentes Sociais no Brasil. Elementos para o estudo do perfil profissional. Conselho Federal de Serviço Social, Brasília, 2005. Disponível em: http://www.cfess.org.br/pdf/perfilas_edicaovirtual2006.pdf. Acessado em 10 de outubro de 2015.

CFESS. Parâmetros para a Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde. CFESS. Brasília, 2010.

CFESS. Política de Educação Permanente do conjunto CFESS-CRESS, Brasília, 2012.

Cislaghi J. F. A formação profissional dos assistentes sociais em tempos de contrarreformas do ensino superior: o impacto das mais recentes propostas do governo Lula. Serv. Soc. Soc.2011. 106: 241- 266.

CLOSS,T.T. Inserção do Serviço Social nas residências multiprofissional em atenção básica: formação em equipe e integralidade. In: BELLII, M.I.B; CLOSS,T.T (org). Serviço Social, residência multiprofissional e pós-graduação: a excelência na formação do assistente social. Porto Alegre. EdiPUCRS, 2012.

DESLANDES, S.; ASSIS, S. G.. Abordagens quantitativa e qualitativa em saúde: o diálogo das diferenças. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (org). Caminhos do pensamento: epistemologia e método. Rio de janeiro: FIOCRUZ, 2002. p.195-223.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e Formação profissional. 4ªed. São Paulo: Cortez, 2007.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. Relações sociais e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2001.

INCA. Carta de Serviços ao Cidadão. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Rio de Janeiro: INCA, 2013.

INCA. Estimativas 2016. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Rio de Janeiro: INCA, 2015. Disponível em <http://www.inca.gov.br/wcm/dncc/2015/estimativa-2016.asp> Acessado em: 17 de dezembro de 2015.

INCA. Plano de curso do Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Rio de Janeiro: INCA, 2015.

MENEZES, J. S. BRAVO, M.I. S.; RODRIGUES, J. P.; SILVA, D. B. O controle social na saúde no município do Rio de Janeiro: a resistência às organizações sociais (OS). In: BRAVO, M.I. S.; ANDREAZZI, M.F. S.; Menezes, J. S. ; LIMA, J.B.; SOUZA, R.O.S. A mercantilização da saúde em debate: As organizações sociais no Rio de Janeiro.I ed. Rio de Janeiro: UERJ, Rede Sirus, 2015. 120p.

Monteiro M. V. C. Serviço Social e Residência Multiprofissional: o(s) desafio(s) da preceptoria. In: A Saúde e a Conjuntura Contemporânea: desafios para o Serviço Social; 2015; Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA); 2015.

NETTO, J. P. A Construção do Projeto Ético-Político do Serviço Social. IN: MOTA, Ana Elisabete et al. (orgs.) Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez editora, OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2007, p. 141-160.

NETTO, J. P. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

NOGUEIRA, A. C. C. ; SILVA, L. B. As desigualdades de gênero: um enfoque na questão da saúde pública. Trabalho apresentado no XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, realizado em Caxambú- MG – Brasil, de 29 de setembro a 03 de outubro de 2008.

SILVA, L.B.; MONTEIRO, M. V. C. ; SANTOS, M. C. B. ; MELO, F. R. ; ESTALINO, E. S. . O Serviço Social na Residência Multiprofissional em Oncologia do Instituto Nacional de Câncer. Serviço Social & Saúde (UNICAMP), v. 11, p. 51-66, 2012. Disponível em: <http://periodicos.bc.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8635026/2879> Acessado em: 13 de dezembro de 2015.

SKABA, M.M.V.F. Compreendendo a trajetória de mulheres em busca do diagnóstico: aspectos sócio-antropólogicos do câncer de mama feminino.Tese de Doutoramento, FIOCRUZ, 2003.

Vasconcelos A. M.; Baltar J.F.; Malafaia B. C. P. B.; Rodrigues N. C. F., Albuquerque T. S.; Neri V.M. Serviço Social, Formação Graduada e Projeto Profissional. In: Veloso RS, Carvalho PRM, Almeida NLT, Simões AI (Org.). Trajetória da Faculdade de Serviço Social da UERJ. 70 anos de história. 1a ed. Rio de Janeiro: EDUERJ; 2014, p. 77-90.