Psicodinâmica do trabalho: a dialética do prazer e sofrimento em residentes multiprofissionais de um hospital de ensino

Autores

  • Nelson Silva Rodrigues Junior Universidade Federal do Maranhão- UFMA
  • Carla Vaz dos Santos Ribeiro Universidade Federal do Maranhão- UFMA

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i3.1953

Palavras-chave:

Capacitação em Serviço, Internato e Residência, Princípio do Prazer-Desprazer, Psicoterapia Psicodinâmica, Trabalho

Resumo

O presente estudo objetivou investigar as vivências de prazer e sofrimento no processo de formação de residentes multiprofissionais de um hospital de ensino. A investigação foi desenvolvida dentro da abordagem de pesquisa quantitativa, utilizando-se o método descritivo exploratório. A coleta de dados realizou-se com aplicação de questionário de caracterização social e profissional dos participantes e a Escala de Prazer e Sofrimento no Trabalho (EPST), validada e aplicada por Mendes (1999). Como referencial teórico para análise dos resultados utilizou-se a psicodinâmica do trabalho, que exprime o confronto do sujeito com a realidade do trabalho e suas consequências na dinâmica dos processos psíquicos. Os resultados demonstraram que a valorização é vivenciada de forma intensa pelos residentes; os maiores índices foram em relação à finalidade do trabalho e à exigência de conhecimentos específicos para este. Quanto ao desgaste, este sentimento também se obteve presente, porém em menor intensidade. O maior fator de desgaste foi relacionado ao cansaço e ao desgaste no trabalho. O fator reconhecimento demonstrou que os residentes sentem-se reconhecidos, onde os maiores índices de reconhecimento foram relacionados à convivência com os colegas e à possibilidade de utilização do estilo pessoal no ambiente de trabalho. Os resultados remetem a uma reflexão sobre a dialética prazer e sofrimento no ambiente de trabalho, e revelam itens significativos para os residentes multiprofissionais, em relação ao seu ambiente de formação e de trabalho, abrindo espaço para discussões e produção de medidas que auxiliem a administração do prazer e sofrimento de forma sadia neste processo de formação.

Biografia do Autor

Nelson Silva Rodrigues Junior, Universidade Federal do Maranhão- UFMA

Psicólogo e Fisioterapeuta. Possui Residência Multiprofissional em Saúde (UFMA). Especialização em Educação Permanente em Saúde (UFRGS). Especialização em Saúde Mental e Atenção Psicossocial (FAR). Servidor público municipal efetivo dos municípios de Inhuma-PI e Lagoa do Sítio- PI.

Carla Vaz dos Santos Ribeiro, Universidade Federal do Maranhão- UFMA

Psicóloga. Possui Doutorado em Psicologia Social (UERJ). Mestrado em Psicologia Social (UERJ). Especialização em Psicologia do Trabalho (UNESA). Professora adjunta da Graduação e do Mestrado em Psicologia da Universidade Federal do Maranhão.

Referências

Brasil. Lei n° 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. [Internet]. [Acesso em: 11 nov. 2015]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm

Ceccim RB, Ferla AA. Residência integrada em saúde: uma resposta da formação e desenvolvimento profissional para montagem do projeto de integralidade da atenção à saúde. In: Pinheiro R, Mattos RA, organizadores. Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec/Abrasco, 2003, p. 211-224.

Brasil. Ministério da Saúde. Relatório da Plenária do Seminário Nacional sobre Residências Multiprofissionais em Saúde. 01 e 02 de dezembro de 2005. Brasília, Hotel São Marcos. 2005d.

Ceccim RB. Residências em saúde: as muitas faces de uma especialização em área profissional integrada Ao SUS. In: Fajardo AP, Rocha CM, Pasini VL (Orgs.). Residências em saúde: fazeres & saberes na formação em saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição; 2010. p: 17-22.

Dejours CA. Violência invisível. (Entrevista) Caros amigos, maio, 1999.

Albornoz S. O que é trabalho? São Paulo: Ed. Brasiliense, 1994.

Bonzatto EA. Tripalium: O trabalho como maldição, como crime e como punição. Direito em Foco, Amparo. 2011; 1:1-37.

Chauí M. Introdução a O Direito à Preguiça, de Paul Lafargue. In: Santiago, H. (Org.) Contra a servidão voluntária. Belo Horizonte/São Paulo: Autêntica/Fundação Perseu Abramo, 2013. v. 1.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948, p.6.

Duarte FS, Mendes AM . Da escravidão a servidão voluntária: perspectivas para a clínica psicodinâmica do trabalho no Brasil. Revista Farol. 2015; 3: 68-128.

Dejours C. A psicodinâmica do trabalho na pós-modernidade.In: Mendes, A. M.; Lima, S. C. da C.; Facas, E. P. (Org.) Diálogos em psicodinâmica do trabalho. Brasília: Paralelo 15, 2007; p. 13-26.

Dejours C. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho (A. I. Paraguay & L. L. Ferreira, trads.) São Paulo: Cortez Oboré, 1992. 168 p.

Dejours C, Dessors D, Desriaux F. Por um trabalho, fator de equilíbrio. RAE. 1993; 33 (3): mai-jun.

Seligmann-Silva E. Saúde mental e trabalho. In: Cidadania e loucura - políticas de saúde mental no Brasil. Tundis AS, Costa NR. (orgs.). Rio de Janeiro: Vozes. 2ª Ed., 1990; p. 217-288.

Silveira A. (Coord.). Residência de Medicina do Trabalho – Programa 2005. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Serviço Especial de Saúde do Trabalhador do Hospital de Clínicas/Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador, jan. 2005. Disponível em: http://www.hc.ufmg.br/crest/downloads/residencia_medicina_trabalho.pdf Acesso em: 30 de junho de 2015.

Ferreira SR. Residência Integrada em Saúde: uma Modalidade de Ensino em Serviço. 2007. 127f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

Ceccim RB, Armani TB. Educação em saúde coletiva: papel estratégico na gestão do SUS. Saúde para Debate, 2001 Rio de Janeiro, 23: 30-56, 2001.

Brasil. Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006. [Acesso em 20 set. 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/residencia_multiprofissional.pdf

Ministério da Saúde e Ministério da Educação e Cultura (Brasil). Portaria Interministerial nº 2.117 de 3 de novembro de 2005. Institui no âmbito dos Ministérios da Saúde e da educação, a Residência Multiprofissional em Saúde e dá outras providências. Brasília. Diario Oficial Uniao. 04 nov 2005; Seção 1:112. Disponível em: http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=112&d ata=04/11/2005 Acesso em: 02 dez 2015.

Ministério da Educação Gabinete do Ministro (Brasil). Portaria interministerial nº 45. Brasília-DF. 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15431-port-inter-n45-12jan-2007&Itemid=30192 Acesso em: 02 dez 2015.

Mendes, AM, Ferreira MC. Inventário sobre Trabalho e Riscos de Adoecimento – ITRA: instrumento auxiliar de diagnóstico de indicadores críticos no trabalho. In: Mendes AMB. Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2007. p. 111-126.

Dejours CA metodologia em psicopatologia do trabalho. In: Lancman S, Sznelwar L(Org.). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro: Paralelo 15, Fiocruz; 2004a. p. 105-126.

Mendes AM, Borges LO, Ferreira MC. Trabalho em transição, saúde em risco. Brasília: Editora da Universidade de Brasília. 2002.

Mendes AM, Muller TC. Prazer no Trabalho. In: Vieira FO, Mendes AM, Merlo ARC. (Org). Dicionário Crítico de Gestão e Psicodinâmica do Trabalho. Curitiba: Juruá Editora; 2013. p. 289-292.

Moraes RD. Sofrimento Criativo e Patogênico. In: Vieira FO, Mendes AM, Merlo ARC. (Org). Dicionário Crítico de Gestão e Psicodinâmica do Trabalho. Curitiba: Juruá Editora; 2013. p. 289-292.

Dejours D. Addendum, da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho, In: Lancman S, Sznelwar LI. (Org.). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Brasília: Paralelo15, Fiocruz; 2004b. p. 47-104.

Dejours C. A psicodinâmica do trabalho na pós-modernidade. In: Mendes AM, Cruz SC, Facas EP (Org.). Diálogos em psicodinâmica do trabalho. Brasília: Paralelo 15; 2007.

Mendes AM. Cultura organizacional e prazer sofrimento no trabalho: uma abordagem psicodinâmica. In: Tamayo A. (Org.). Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 59-76.

Dejours C, Abdoucheli E. Itinerário teórico em psicopatologia do trabalho. In: Dejours, C, Abdoucheli E, Jayet C. (Org.) Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas; 1994. p. 119-145.

Torres CT, Abrahão JI. A atividade de teleatendimento: uma análise das fontes de prazer e sofrimento no trabalho. Rev. bras. saúde ocup. [Internet]. São Paulo (SP) 2006 jul.-dez. [Acesso em 28 nov. 2015]. 31(114): 113-124. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572006000200010

Mendes AM. Valores e vivências de prazer-sofrimento no contexto organizacional. 1999. 306f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade de Brasília, Brasília, 1999.

Franco GP, Barros ALBL, Nogueira-Martins LA, Zeitoun SS. Burnout em residentes de enfermagem. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2011. [Acesso em 03 dez 2015]. 45(1): 12-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n1/02.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [homepage na internet]. Censo Demográfico, 2010 [Acesso em 12 dez 2015]. Disponível em: http:www.ibge.gov.br

Wegner W, Pedro ENR. Os múltiplos papéis sociais de mulheres cuidadoras-leigas de crianças hospitalizadas. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. Porto Alegre (RS) 2010 jun. [Acesso em 20 nov. 2015]. 31(2):335-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v31n2/19.pdf

Goulart CT, Silva RM, Bolzan MEO, Guido LA. Perfil sócio demográfico e acadêmico dos residentes multiprofissionais de uma universidade pública. Rev. RENE [Internet]. Fortaleza (CE) 2012. [Acesso em 01 out. 2015]; 13 (1): 178-186. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/viewFile/29/25

Mendes AM., Tamayo A.Valores organizacionais e prazer-sofrimento no trabalho. Psico-USF [Internet]. 2001 jan./jun. [Acesso em 10 out. 2015]; 6(1), 39-46. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pusf/v6n1/v6n1a06.pdf

Lopes GT, Baptista SS. Residência de enfermagem: o cotidiano e seus desafios. In: Lopes GT (org.). Residência de enfermagem - espaços de lutas e contradições. Rio de Janeiro: EPUB, 2000. p.1-33

Dejours C. Subjetividade, trabalho e ação. Prod. [Internet]. São Paulo (SP) 2004 dez. [Acesso em 10 out. 2015]; 14 (3): 27-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65132004000300004&lng=pt&nrm=iso

Mendes AM. (Org.). Trabalho e saúde: o sujeito entre emancipação e servidão. Curitiba: Juruá; 2008. p. 26-39.

Dejours C. Trajetória teórico-conceitual. In. Lancmann S, Sznelwar LI. (orgs) Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Brasília: Paralelo 15 / Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2011.

Publicado

2018-04-13

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS