Atenção Farmacêutica: considerações éticas na relação do profissional de saúde com o usuário de medicamento.

Autores

  • Nilceu José Oliveira Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Pública

Palavras-chave:

Atenção Farmacêutica, Ética Profissional, Medicamento.

Resumo

Dentro do extenso número de instrumentos de trabalho do Farmacêutico, no contexto da área de Saúde, encontramos a Atenção Farmacêutica para a implantação nos serviços de farmácias e drogarias. Desta forma, este profissional de Saúde interage com o usuário do medicamento na busca das melhores condições para a adesão ao tratamento, redução de automedicação, redução de reações e efeitos indesejáveis, adequação de rotinas, dentre outros aspectos desejáveis no correto uso do medicamento. Contextos históricos e culturais, valores, realidades, posturas, condutas, tanto do profissional quanto do usuário, relação de confiança e de parceria, tudo está envolvido neste contexto. A relação direito e dever, num ambiente de confiança deve ser levada em conta. A Ética pessoal e profissional permeiam este ambiente complexo, bem como a relação de dever e direito, que deve levada em conta nesta relação.

Biografia do Autor

Nilceu José Oliveira, Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Pública

Farmacêutico-Bioquímico pela UFMG, Mestre pela UNIFA, Especialista em Administração dos Serviços de Saúde (Saúde Pública e Administração Hospitalar) pela UNAERP, Especialista em Biotecnologia pela UFLA, Especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela UNB, Especialista em Bioética pela Cátedra Bioética UNESCO/ UNB, Oficial Farmacêutico pelo MD/COMAER.

Referências

Pessini, L,DeBarchifontaine CP. Problemas Atuais de Bioética. 7ª ed. São Paulo: Edições Loyola; 2005.

Dias JPS. A Farmácia e a História: uma Introdução à História da Farmacologia e da Terapêutica. Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa; Lisboa; 2003.

Votta R. Breve História da Farmácia no Brasil. Laboratório Enila S.A. Rio de Janeiro: 1965.

Conselho Federalde Farmácia. Resolução nº 357, de 20 de abril de 2001. Aprova o Regulamento Técnico das Boas Práticas de Farmácia. Brasília, DF, 2001.

Organização Pan-Americanada Saúde / Conselho Federalde Farmácia. O papel do Farmacêutico no Sistema de Atenção à Saúde. Brasília, DF, 2004.

Jonas H. Técnica, Medicina y Ética, sobre laprácticadelprincipio de responsabilidad. Barcelona: EdicionesPaidós Ibérica. 1997.

Organização Pan-Americana da Saúde. Consenso Brasileiro de Atenção Farmacêutica: proposta/ Adriana MitsueIvama et al. Brasília, DF, 2002.

CipolleRJ, Strand LM,Morley PC.O Exercício do Cuidado Farmacêutico. McGraw-Hill; 1998. Tradução: Denise Borges Bittar. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 2006.

Dader MJ F,Munoz PA, Martínez FM. Atenção Farmacêutica, conceitos, processo e caso práticos. Tradução: Denise Funchal. São Paulo: Editora RCN; 2008.

Ramalhode Oliveira D.Atenção Farmacêutica: da filosofia ao gerenciamento da terapia medicamentosa. São Paulo: RCN Editora. 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Programa Farmácia Popular. [acesso em 2012out29].Disponível em:<http://www.brasil.gov.br/sobre/saude/ medicamentos/farmacia-popular>.

Carvalho PL . Patentes Farmacêuticas e acesso a Medicamentos. São Paulo: Atlas, 2007.

Soyama P. Ideia de que a saúde pode ser comprada intensifica o consumo de medicamentos. Ciência e Cultura, vol.58, nº.2. São Paulo. Apr./June 2006.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009.[acesso em 2012set01]. Disponível em:<http://www.ibge.gov.br/home /estatistica/

populacao/condicaodevida /pof /2008_2009/POFpublicacao.pdf> .

Lorenzo C. O Consentimento livre e esclarecido e a realidade do analfabetismo funcional no Brasil: uma abordagem para a norma e para além da norma. Revista Bioética, 2007; 15(2), p.

– 282.

Russ J. Dicionário de Filosofia.São Paulo: Scipione. 1994.

Dancy J. Uma Ética de losdeberes prima facie.In SINGER, P.Compêndio de Ética. Madrid: Aliança Editorial: 1995, seg. reimpressão 2004.

Goldim J R.Deveres prima facie. [acesso em 2013 jan16]. Disponível em:<http://www.bioetica.ufrgs.br/ primafd.htm>.

Almona B. Los Derechos.In SINGER, P.Compêndio de Ética. Madrid: Aliança Editorial:1995, seg. reimpressão 2004.

BRASIL. Constituição da Republica Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal, 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.919, de 30 de outubro de 1998. Institui a Política Nacional de Medicamentos. Brasília, DF, 1998.

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.

UNESCO. Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos, 2005. [acesso em 2012set 20]. Disponível em:<http://www.sbbioetica.org.br/dubdh/>.

Hans Jonas. [acesso em 2013fev25]. Disponivel em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Hans_Jonas>.

Silveira DC. Uma Análise do Princípio de Responsabilidade de Hans Jonas: suas Implicações Metaéticas.Ethica,, 2010[acesso em 2013fev 23], vol. 17, nº 2, p. 137-151. Rio de Janeiro. Disponível em:<http://www.revistaethica.com.br/V17N2art8.pdf>.

Fernandes MFA. O Princípio da Responsabilidadede Hans Jonas, em busca dos fundamentos éticos da educação contemporânea. 2002. Dissertação(Mestrado em Filosofia da Educação) - Faculdade de Letras, Universidade do Porto. 2002. [acesso em 2013 fev 23]. Disponível em:<http://www.google.com.br/search?sourceid=navclient&hl=pt-BR&ie=UTF-

&rlz= 1T4ADFA pt-BRBR404BR405&q=Maria+de+F%c3%a1tima+ Ara%c3%bajo+

Fernandes+

Downloads

Publicado

2016-01-13

Como Citar

Oliveira, N. J. (2016). Atenção Farmacêutica: considerações éticas na relação do profissional de saúde com o usuário de medicamento. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 9(2), Pág. 29-40. Recuperado de //tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/1816

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS