O Programa PET-Saúde na organização do lócus da prática como espaço de formação dos profissionais de saúde: um relato de experiências.

Autores

  • Marilene da Cruz Magalhães Buffon Editora Executiva - Universidade de Brasília
  • Veronica de Azevedo Mazza
  • Silvia do Amaral Rigon
  • Rafael Gomes Ditterich
  • Deise Prehs Montrucchio
  • Derivan Brito Silva
  • Joseane M A M Oliveira
  • Juliana Bertolin Gonçalves
  • Hernando A Pereira
  • Rosalba V S Anjos
  • Sayuri Santina Utida Pereira
  • Leise Carla D Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v9i1.1696

Resumo

Este artigo objetiva relatar a experiência do Pró-PET Saúde da Universidade Federal do Paraná com a Secretaria Municipal de Saúde de Colombo-PR. Trata-se de um relato de experiência retrospectivo e descritivo sobre o tema da integração acadêmica e trabalho multiprofissional. As atividades foram desenvolvidas pelos acadêmicos, preceptores e tutores dos cursos de enfermagem, farmácia, nutrição, medicina, odontologia e terapia ocupacional. O trabalho visou à integração, mediante ações, realizadas pelos grupos: diagnóstico em saúde, atenção à saúde, educação permanente e controle social. O Pró-PET Saúde vem fortalecendo a interação entre ensino-serviço-comunidade, importante para a construção de serviços de saúde mais qualificados e possibilitando ações mais próximas às necessidades do Sistema Único de Saúde. Esta vivência possibilitou qualificar a formação acadêmico-profissional na linha da interdisciplinaridade, sendo importante para o fortalecimento da interação entre os profissionais e a articulação das ações de saúde.

Referências

Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº 1.133/2001. Diretrizes curriculares nacionais dos cursos de graduação em enfermagem, medicina e nutrição. Diário Oficial da União, 3 Out 2001.

Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 6, de 19 de fevereiro de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em terapia ocupacional. Diário Oficial da União, 4 Mar 2002.

Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em farmácia. Diário Oficial da União, 4 Mar 2002.

Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 3, de 19 de fevereiro de 2002. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em odontologia. Diário Oficial da União, 4 Mar 2002.

Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Portaria Interministerial nº 1.802, de 26 de agosto de 2008. Institui o programa de educação pelo trabalho para a saúde – PET Saúde. Diário Oficial da União, 27 Ago 2008.

Ferla AA, Ceccim RB, Dall alba R. Informação, educação e trabalho em saúde: para além de evidências, inteligência coletiva. R. Eletr. De Com. Inf. Inov. Saúde [Internet]. 2012 [acesso em 13 Jun 2014]; 6(2) Sup: [13 p.]. Disponível em: http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/620

Ceccim RB, Feuerwerker lCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis: Rev. Saúde Coletiva. 2004; 14(1):41-65.

Ceccim RB, Ferla AA. Educação e saúde: ensino e cidadania como travessia de fronteiras. Trab. Educ. Saúde. 2008; 6(3):443-56.

Pinto H, Sousa A, Ramos-Florêncio AS. O programa nacional de melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica: reflexões sobre o seu desenho e processo de implantação. R. Eletr. De Com. Inf. Inov. Saúde [Internet]. 2012 [acesso em 13 Jun 2014]; 6(2) Sup: [19 p.]. Disponível em: http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/624

Merhy EE, Feuerwerker LCM, Ceccim RB. Educación permanente en salud: una estrategia para intervenir en la micropolítica del trabajo en salud. Salud Colectiva. 2006; 2(2):147-60.

IPARDES - INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. Paraná em foco [Internet]. 2011 [acesso em 28 Ago 2014]. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/modules/conteudo/conteudo/conteudo.php?conteudo=86

Ministério da Saúde. Saúde da família: uma estratégia para reorientação do modelo assistencial. Brasília, DF: MS; 1997.

Assega ML, Lopes Júnior LC, Santos EV, Antoniassi RS, Padula MGC, Pirolo SM. A interdisciplinaridade vivenciada no PET-Saúde. Ciência & Saúde (Porto Alegre). 2010; 3(1):29-33.

Batista KBC, Gonçalves OSJ. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde Soc. 2013; 20(4):884-99.

Almeida MM, Morais RP, Guimarães DF, Machado MFAS, Diniz RCM, Nuto SAS. Da teoria à prática da interdisciplinaridade: a experiência do Pró-Saúde Unifor e seus nove cursos de graduação. Rev. Bras. Educ. Med. 2012; 36(1):119-26.

Teixeira CF, Paim JS. Política de formação de recursos humanos em saúde: conjuntura atual e perspectivas. Divulg. Saúde Debate. 1996; 12:19-23.

Fonseca GS, Junqueira SR, Zilbovicius C, Araujo ME. Educação pelo trabalho: reorientando a formação de profissionais da saúde. Interface (Botucatu). Ahead of print. Epub 09 Mai 2014.

Ferreira RC, Fiorini VML, Crivelaro E. Formação profissional no SUS: o papel da Atenção Básica em Saúde na perspectiva docente. Rev. Bras. Educ. Med. 2010; 34(2):207-15.

Moretti-Pires RO, Bueno SMV. Freire e formação para o Sistema Único de Saúde: o enfermeiro, o médico e o odontólogo. Acta Paul. Enferm. 2009; 22(4):439-44.

Downloads

Publicado

2015-08-29

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)