Comparação de indicadores antropométricos de obesidade em escolares de 11 a 12 anos: Estudos de 2007 e 2011 na cidade de Caxias do Sul.

Autores

  • Carmem Angela Rech Buffon
  • Juliana Bernardi
  • Ricardo Rodrigo Rech Universidade de Caxias do Sul (UCS)
  • Ricardo Halpern Presidente do Departamento de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria. Chefe do Serviço de Pediatria do Hospital da Criança Santo Antônio - ISCMPA, Chefe do Ambulatório de Desenvolvimento do HCSA
  • Mauren Lúcia de Araújo Bergmann Atualmente é Professora Assistente do Curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Pampa, pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência (GPAFSIA) e Coordenadora de Área do PIBID - Educação Física da UNIPAMPA
  • Cristine Boom Constanzi
  • Lidiane Requia Alli
  • Gabrielli Thais Mello Professora de inglês da Escola Estadual de Educação Básica - Abramo Pezzi Caxias do Sul e professora de educação física (academia) no clube Recreio da Juventude - Caxias do Sul
  • Simone Rufatto Ricalde Professora da Universidade de Caxias do Sul- RS (UCS).

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i4.1582

Resumo

Introdução: Um dos grandes desafios da saúde pública do século XXI é a obesidade. Estima-se que o sobrepeso e obesidade causem o quinto maior risco de mortes no mundo. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi comparar as prevalências de sobrepeso e obesidade em escolares da cidade de Caxias do Sul, entre dois estudos transversais realizados nos anos de 2007 e 2011 com escolares de 11 a 12 anos. Metodologia: Foram utilizados os indicadores antropométricos de índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura e somatória das dobras cutâneas do tríceps e da panturrilha. Para análise estatística foi realizado o teste qui quadrado de Pearson e o t de Student. Resultados: Foram avaliados 461 e 1014 escolares nos estudos de 2007 e 2011, respectivamente. As médias de circunferência da cintura e somatório de dobras cutâneas aumentaram no período, enquanto a média de IMC diminuiu. O estado nutricional avaliado pelo IMC apresentou diminuição nas prevalências de sobrepeso e obesidade, enquanto que as prevalências de obesidade abdominal e de gordura corporal em meninos e meninas não apresentaram diferença estatística significante em relação ao desfecho avaliado pelo IMC e pela circunferência da cintura. Também houve aumento do percentual de meninos e meninas com gordura acima do desejado no período. Conclusão: Conclui-se que apesar da diminuição do excesso de peso no período avaliado pelo IMC, os escolares da cidade em questão apresentaram aumento na prevalência de obesidade abdominal e gordura acima do desejado.

Biografia do Autor

Ricardo Rodrigo Rech, Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Doutor em Ciências da Saúde na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Mestre em Saúde Coletiva pela ULBRA (2007), Especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Veiga de Almeida (2005) e Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2003). Atualmente é professor dos Cursos de Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e diretor do Instituto de Medicina do Esporte da mesma instituição. Também atua na Secretaria Municipal de Esporte e Lazer do Município de Caxias do Sul, onde atualmente ocupa o cargo de Diretor da Divisão de Esportes.

Ricardo Halpern, Presidente do Departamento de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria. Chefe do Serviço de Pediatria do Hospital da Criança Santo Antônio - ISCMPA, Chefe do Ambulatório de Desenvolvimento do HCSA

Professor Associado da Universidade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre. Mestrado :Master Of Science In Public Health - University Of North Carolina At Chapel Hill (1991) e doutorado em Ciências Medicas em Pediatria pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000). Pós Doctoral Fellow in Developmental and Behavioral Pediatrics, pelo Center for Development and Learning- UNC, Chapel Hill. Atualmente é revisor dos - Arquivos Médicos da Universidade Luterana do Brasil, - American Journal of Public Health , - Revista AMRIGS, - Jornal de Pediatria, - Cadernos de Saúde Pública (FIOCRUZ), Revista de Saúde Pública. Pediatra e Especialista em Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento. Atua principalmente nos seguintes temas: epidemiologia doa problemas de desenvolvimento e comportamento,desenvolvimento/comportamento/crianças/adolescente, crianças com deficiencia, fatores de risco e diagnóstico precoce.

Mauren Lúcia de Araújo Bergmann, Atualmente é Professora Assistente do Curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Pampa, pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde na Infância e Adolescência (GPAFSIA) e Coordenadora de Área do PIBID - Educação Física da UNIPAMPA

Graduada em Educação Física pela Universidade Luterana do Brasil. Possui especialização em Musculação e Treinamento de Força pela universidade Gama Filho- RJ e especialização e mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Luterana do Brasil. Possui experiência em Educação Física escolar e Atividade Física e Saúde.

Lidiane Requia Alli

Doutoranda em Ciências da Saúde pela UFCSPA, mestre em Saúde Coletiva pela ULBRA, especialista em fisiologia do exercício pela UGF, licenciada em Educação Física pela UNICRUZ. Professora de Pilates, professora de curso de formação de professores em Pilates. Formada em Ballet Clássico. Docente da ULBRA. Atuação na área de Educação Física e Saúde.

Gabrielli Thais Mello, Professora de inglês da Escola Estadual de Educação Básica - Abramo Pezzi Caxias do Sul e professora de educação física (academia) no clube Recreio da Juventude - Caxias do Sul

Possui Especialização em Bases Nutricionais da Atividade Física - Nutrição Esportiva pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro (2012), Graduação em Bacharelado em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2012) e Graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2010).

Simone Rufatto Ricalde, Professora da Universidade de Caxias do Sul- RS (UCS).

Possui graduação em Nutrição pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1998) e mestrado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005). Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutrição Clínica, atuando principalmente nos seguintes temas: dietoterapia, alimentação gestação e diabetes.

Downloads

Publicado

2015-02-16

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS