A vulneração socioambiental advinda do complexo industrial portuário de Suape: a perspectiva dos moradores da Ilha de Tatuoca – Ipojuca/PE

Autores

  • Renata Cordeiro Cordeiro Domingues Enfermeira, mestranda em Saúde Pública pelo Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães - Fiocruz/PE. E-mail:
  • Mariana Olivia Santana Santos Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Pernambuco, Especialista e mestra em Saúde Pública pelo CpqAM. Doutoranda em Saúde Pública pelo Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz/MS.
  • Idê Gomes Dantas Gurgel Graduada em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba, Mestre e Doutora em Saúde Pública pelo CPqAM/FIOCRUZ.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i2.1513

Resumo

A comunidade tradicional de pescadores artesanais da Ilha de Tatuoca enfrenta intensos conflitos socioambientais, decorrentes das obras de expansão do Complexo Industrial e Portuário de Suape, em Pernambuco. Nos últimos anos, esses conflitos materializam-se em um profundo processo de desterritorialização das famílias e em uma evidente descaracterização da Ilha de Tatuoca, considerada Área de Preservação Permanente (APP). Diante disso, este estudo se preocupa em compreender a percepção e os aspectos subjetivos da população exposta aos conflitos socioambientais, presentes no território. Para tanto, esta pesquisa objetiva analisar o discurso dos moradores da Ilha de Tatuoca sobre o processo de vulneração socioambiental ativo no local.

Downloads

Publicado

2014-06-28

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)