Perfil sociodemográfico e profissional dos novos Analistas Técnicos de Políticas Sociais (ATPS), do Ministério da Saúde, Governo Federal do Brasil, 2013.

Autores

  • Rackynelly Soares Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública (UnB) na avaliação de políticas de iniquidades e na análise de situação de saúde. Membro da equipe editorial da Tempus Actas de Saúde Coletiva. Atualmente colabora na Universidade Federal da Paraíba, no Núcleo de Estudo em Saúde Coletiva. Integrante do grupo de pesquisa do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta.
  • Roney Vargas Barata Medico formado pela Universidade de Brasília(2014), residente no programa de residencia medica em psiquiatria do Hospital de Base do Distrito Federal e medico clinico da UPA 24 h da Serra Sede ES. Tendo sido estagiário do Núcleo de Saúde Publica da UnB - NESP.
  • Gino Rocha É pesquisador colaborador do Laboratório de Referência Nacional em Vetores das Riquétsias - LIRN (CGLab/SVS/MS), do Departamento de Entomologia, IOC/Fiocruz. Atualmente, é professor adjunto, nível II, 40 DE, da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, da Universidade de Brasília (FAV/UnB), na Área de Saúde Animal.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i1.1449

Resumo

O Projeto de Acolhimento dos novos Analistas Técnicos de Políticas Sociais (ATPS) objetivou instrumentalizar, de forma qualificada, o Ministério da Saúde com conhecimento sobre os seus novos analistas. Por um lado possibilita ao Ministério ter uma visão mais sistêmica dos seus servidores e, por outro facilita a alocação conciliando suas opções com os requisitos técnicos e da demanda das respectivas secretarias de destino. Após a análise dos dados secundários gerados durante o preenchimento da ficha cadastral do Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos, versão web, o perfil encontrado apresentou prevalência de mulheres brancas solteiras, com média de idade de 31 anos e provenientes do Distrito Federal. As áreas das Ciências da Saúde e das Ciências Biológicas são as de origem de formação e também as de atuação desses ATPS. Eles possuem domínio em softwares de edição de textos e de planilhas eletrônicas e tem conhecimento da língua inglesa. Suas secretarias de maior interesse para serem alocados foram as Secretarias de Atenção à Saúde e a de Gestão Estratégica e Participativa.

Biografia do Autor

Rackynelly Soares, Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública (UnB) na avaliação de políticas de iniquidades e na análise de situação de saúde. Membro da equipe editorial da Tempus Actas de Saúde Coletiva. Atualmente colabora na Universidade Federal da Paraíba, no Núcleo de Estudo em Saúde Coletiva. Integrante do grupo de pesquisa do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta.

Doutoranda em Modelos de Decisão e Saúde (UFPB), Mestre em Modelos de Decisão e Saúde (2012). Possui graduação em Tecnologia em Geoprocessamento pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (2008). Atua como pesquisadora do Núcleo de Estudos em Saúde Pública (UnB) na avaliação de políticas de iniquidades e na análise de situação de saúde. Membro da equipe editorial da Tempus Actas de Saúde Coletiva. Atualmente colabora na Universidade Federal da Paraíba, no Núcleo de Estudo em Saúde Coletiva. Integrante do grupo de pesquisa do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta.

Gino Rocha, É pesquisador colaborador do Laboratório de Referência Nacional em Vetores das Riquétsias - LIRN (CGLab/SVS/MS), do Departamento de Entomologia, IOC/Fiocruz. Atualmente, é professor adjunto, nível II, 40 DE, da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, da Universidade de Brasília (FAV/UnB), na Área de Saúde Animal.

Médico Veterinário, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), 1991. Mestrado em Biologia Parasitária (Área de concentração: Biologia, Ecologia e Controle de Ártropodes Vetores), pelo Instituto Oswaldo Cruz-Fiocruz, em 1997) e Doutorado, na modalidade sanduíche, em Ciências-Saúde Pública (Área de concentração: Paleoparasitologia), pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, ENSP-Fiocruz e Université de Reims Champagne-Ardenne, França, em 2003.

Downloads

Publicado

2014-03-29