Política de Atenção Integral à Saúde Mental das Populações Indígenas de Porto Velho/RO: a voz das lideranças

Autores

  • Priscilla Perez da Silva Pereira
  • Arneide Bandeira Cemin
  • José Juliano Cedaro
  • Ari Miguel Teixeira Ott

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v7i4.1425

Resumo

Este artigo é fruto de reflexões desenvolvidas a partir de um Seminário sobre a Política de Atenção Integral à Saúde Mental da População Indígena realizado pela Universidade Federal de Rondônia (UFRO) e o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Porto Velho/RO. Apresenta conclusões e recomendações, tendo como base as discussões desenvolvidas a partir de questões, organizadas em quatro eixos, propostas aos Grupos de Trabalhos (GT). O primeiro eixo foi a respeito da concepção de normalidade/anormalidade; o segundo se referia ao Itinerário Terapêutico, enfatizando os tratamentos tradicionais; o terceiro eixo apontou a função das lideranças, controle social e das instituições de assistência e apoio à população indígena no que se refere às ações de saúde mental; e o quarto eixo consistiu a discussão sobre a avaliação dos serviços de saúde sobre as quais recaíram as queixas pelas dificuldades em implantar políticas de atenção integral de saúde às populações indígenas, pois estas ainda estariam sustentadas no modelo psiquiátrico que defende uma concepção universal das doenças e não considera os aspectos culturais relacionados ao adoecimento psíquico.

Downloads

Publicado

2013-12-03