A intersetorialidade saúde e educação para a construção de escolas promotoras de saúde: percepções dos profissionais ligados ao curso a distância gestão de projetos de investimento em saúde

Autores

  • Elomar Castilho Castilho Barilli Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão Fiocruz
  • Luisa Regina Pessôa Fiocruz Ministério da Saúde

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v7i2.1348

Resumo

O artigo apresenta a pesquisa qualitativa realizada no curso a distância Gestão de Projetos de Investimento em Saúde, com o objetivo de verificar as possibilidades de qualificação da educação básica pela inter-relação entre os princípios do Sistema Único de Saúde e as diretrizes dos Parâmetros Curriculares Nacionais. Sua execução se deu em duas fases por meio da reflexão dos 303 alunos (participantes), acerca da intersetorialidade na prática cotidiana, a partir de duas questões deflagradoras, registradas em dois instrumentos - Planilha de Repertório e Relatório de Pesquisa. Os modelos epistemológicos de Análise de Conteúdo e Análise do Discurso embasaram a análise dos dados, a partir dos quais foram estruturadas categorias de significação, sendo as de âmbito político e técnico-profissional as mais frequentes. A pesquisa contribuiu para a conscientização crítica dos educandos quanto à resolutividade das ações de saúde na educação básica, entendendo a intersetorialidade– Educação/Saúde – como um dos eixos estruturantes das políticas públicas nacionais.

Biografia do Autor

Elomar Castilho Castilho Barilli, Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão Fiocruz

É graduada em Ciências Biológicas; Doutora em Sistemas Computacionais (Computação de Alto Desempenho - COPPE/UFRJ) e Mestre em Engenharia Biomédia (COPPE/UFRJ). Ainda possui MBA em Gestão do Conhecimento e Inteligência Empresarial pelo Centro de Referência em Inteligência Empresarial - CRIE/COPPE -UFRJ, é especialista em Planejamento e Gestão de Educação a Distância (UFF/UAB) e especialista em Administração Pública (UFF/UAB); é formada pelo Programa de Alta Formación para Funcionários Operativos del MERCOSUR (Programa Itália/Mercosul).. Atualmente é Pesquisadora Titular em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz,da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz);docente do Curso de Pós-graduação Stricto Sensu em Saúde Pública, área de Concentração Saúde, Trabalho em Ambiente, responsável pela disciplina Introdução às Práticas Docentes em Saúde. Ainda é Coordenadora da Área de Gestão do Conhecimento e Pesquisa da Coordenação de Educação a Distância da ENSP/Fiocruz. Participa do conselho editorial da Revista Scient, como parecerista da Revista de Brasileira de Educação Médica (ABEM) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão - FAPEMA. Possui experiência na área de Educação e Tecnologia em Saúde, com ênfase em Educação a Distância para Educação Permanente em Saúde.

Luisa Regina Pessôa, Fiocruz Ministério da Saúde

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Sua Tese de Doutorado obteve o Prêmio DECIT de Incentivo em Ciência e Tecnologia em 2005. Esteve lotada até junho de 2014 na Escola de Governo em Saúde/ENSP, onde era coordenadora do Programa de Qualificação em Incorporação de Tecnologias em Saúde. Atualmente, esta lotada no Centro de Referência Professor Hélio Fraga(CRPHF) da ENSP/Fiocruz, e é Secretaria Executiva do Programa Translacional de Tuberculose, FioTB/VPPLR/Fiocruz. Integra a Equipe do Programa Saúde Amanhã, parceria FIOCRUZ, IPEA, IBGE, Ministério da Saúde no Tema Organização de Sistemas e Serviços de Saúde.

Downloads

Publicado

2013-09-25

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS