Espaços de conhecimento científico e cultural na promoção da saúde: ações para minimizar as iniquidades em saúde
PDF

Como Citar

Souza, C. T. V., Barros, M. M. M. M., Hora, E. L. L., Lino, O. S., & Hora, D. L. (2012). Espaços de conhecimento científico e cultural na promoção da saúde: ações para minimizar as iniquidades em saúde. Tempus – Actas De Saúde Coletiva, 6(4), Pág. 187-200. https://doi.org/10.18569/tempus.v6i4.1215

Resumo

O presente artigo apresenta resultados obtidos na execução do projeto “Atividades complementares em saúde e ambiente do Grupo de Estudo em Epidemiologia e Prevenção das Doenças Infecciosas e Parasitárias: uma iniciativa de difusão e popularização da ciência”, desenvolvido pelo Laboratório de Epidemiologia Clínica no Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (IPEC) da Fundação Oswaldo Cruz, cujos objetivos buscam, entre outros, divulgar o conhecimento científico com ênfase na saúde e ambiente; organizar, e acompanhar visitas a exposições científicas, centros e museus de ciência, espaços não formais de ensino, etc.; avaliar o impacto desta abordagem como estratégia educativa. Assim, descrevemos neste trabalho, a trajetória que vimos percorrendo no IPEC, com a realização de ações que envolvem a pesquisa e a educaçãoem saúde junto a pacientes que integram a Associação de Pacientes Lutando pra Viver Amigos do IPEC, seus familiares/amigos e profissionais do Instituto, no intuito de promover a saúde e ampliar o conhecimentos desses sujeitos sócias a respeito do processo saúde-doença e as possibilidades para a sua melhoria. Consideramos que a realização deste trabalho permite proporcionar reflexões sobre a importância do acesso a informações e conhecimento científico e cultural, que deve ser ampliado a outras clientelas assistidas pelo Sistema Único de Saúde, pois sabemos que dentre os diversos entendimentos de tecnologias em saúde destaca-se a educação e informação, intermediando a atenção e os cuidados com a saúde e contribuindo para a motivação e valorização da autoestima, inclusão social dos cidadãos, para o enfrentamento coletivo das iniquidades em saúde.
https://doi.org/10.18569/tempus.v6i4.1215
PDF